Governo de Caetité dá início ao projeto CRAS Itinerante

Terça / 29.08.2017

Por Redação Sertão Hoje

A primeira a receber o projeto foi a comunidade de Contendas, onde foram realizadas atividades que envolveram crianças, adolescentes e idosos.

Na última sexta-feira (18), a Prefeitura de Caetité, através da Secretaria de Desenvolvimento Social, deu início ao projeto CRAS Itinerante, que vai percorrer todas as comunidades quilombolas. A primeira a receber o projeto foi a comunidade de Contendas. Na oportunidade, foram realizadas atividades que envolveram crianças, adolescentes e idosos, como palestras, roda de conversa e grupo de dança. O projeto, que foi idealizado pela primeira dama Aline Gondim, leva o nome Unindo Forças e propõe um espaço de discussão e formação, para que seja realizada uma troca de experiência e vivência nas comunidades.

“Essa ação é realizada pelo CRAS Urbano, CRAS Rural, Equipe Volante Quilombola e Equipe do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). De fato, vivenciamos o fortalecimento da comunidade em si, envolvendo toda a família, levando momentos de cultura e educação e fortalecendo os vínculos comunitários”, explicou a coordenadora do CRAS Rural, Deuzeni Santos. O morador de Contendas, Sr. Manoel Marcos de Oliveira, destacou a importância desse projeto para a comunidade. “Tomara que tenhamos outros encontros desses, porque foi muito bem organizado e muito bonito. Todo mundo aqui ficou feliz. Estou muito agradecido por essa equipe ter estado com a gente hoje”, comemorou o Sr. Manoel.

Ainda na comunidade de Contendas, foi feito o lançamento do Programa Criança Feliz que inicialmente atenderá 150 famílias. São crianças de 0 a 3 anos e de 0 a 6 anos (que receba o BPC ou tenha alguma deficiência). Só serão cadastradas as crianças que recebem o Bolsa Família. Serão cadastradas, também, gestantes e crianças que estão afastadas do convívio familiar. O objetivo principal desse programa é conseguir promover o desenvolvimento humano a partir do apoio e acompanhamento do desenvolvimento infantil integral na primeira infância. Isso é possível com visitas periódicas dos profissionais de saúde e da vara da infância na casa dessa população mais carente.

O projeto propõe um espaço de discussão e formação, para que seja realizada uma troca de experiência e vivência nas comunidades.