Sertão Hoje

Sertão Hoje

Para Barroso eleições municipais não devem ser adiadas para 2022; decisão deve sair até junho

Segunda / 06.04.2020

Por Redação Sertão Hoje

Essa medida evitaria que mandatos sejam estendidos além do tempo concedido pelo voto popular. (Foto: Divulgação / Carlos Moura / STF)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve decidir até junho se adia ou não as eleições municipais deste ano. A afirmação foi do futuro presidente do órgão, o ministro Luiz Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em entrevista na manhã desta sexta-feira (06) ao colunista do UOL Josias de Souza, ele disse que, se houver adiamento do pleito devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19), pretende remarcar a votação para dezembro, no máximo. Para o ministro, o ideal seria adiar "por um prazo máximo de dois meses" as eleições deste ano. "Neste momento, com a esperança de não ser necessário adiar, é fazer até o início de dezembro", disse Barroso. Para ele, essa medida evitaria que mandatos sejam estendidos além do tempo concedido pelo voto popular. Para Barroso, unir as eleições municipais e nacionais em 2022 criaria trabalho enorme para a Justiça Eleitoral julgar, ao mesmo tempo, milhares de registros de candidatos a vereador, prefeito, deputado, senador, governador e presidente. “Estamos estimando 750 mil candidatos entre prefeitos e vereadores. Se você juntar isso a milhares de candidatos nas eleições nacionais vai criar um inferno gerencial nestas eleições", destacou o Barroso.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.