Sertão Hoje

Sertão Hoje

Governo da Bahia entrega Plano Plurianual Participativo 2020-2023 para análise da AL-BA

Terça / 10.09.2019

Por Redação Sertão Hoje

O PPA 2020-2023 conta com contribuições do Programa Governo Participativo que traz as diretrizes dos quatro anos do governo estadual. (Foto: Paula Fróes / GOVBA)

O projeto de lei com contribuições dos 27 Territórios de Identidade da Bahia com as diretrizes, objetivos e metas da administração para o próximo quadriênio, o Plano Plurianual Participativo (PPA) 2020-2023, foi entregue pelo secretário do planejamento do Estado, Walter Pinheiro, ao presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Nelson Leal, nesta segunda-feira (09), para análise e discussão dos parlamentares antes da votação em plenário O PPA 2020-2023 conta com contribuições do Programa Governo Participativo que traz as diretrizes dos quatro anos do governo estadual.

De acordo com o secretário Walter Pinheiro, o PPA 2020-2023 está baseado na realidade dos territórios de identidade e em sintonia com a capacidade orçamentária do governo. “É um PPA ajustado a esse novo tempo, ousado e ao mesmo tempo realista. Todo mundo vai querer saber qual a grande obra que consta no PPA, mas ressalto que é um plano focado no desenvolvimento das pessoas. É sobre como o estado vai chegar na população com mais saúde, segurança, educação, com oportunidades de geração de renda e trabalho. É um plano para promover o nosso desenvolvimento nos locais em que a população vive. Essa foi a determinação que o governador nos deu, colocar a Bahia na ponta do desenvolvimento para atender a sua gente”, explicou o secretário.

Segundo o presidente da AL-BA, Nelson Leal, a análise do documento será iniciada na Comissão de Finanças e Orçamento e, após amplo debate, será levado à votação no plenário da Casa. “Implementamos uma dinâmica muito interessante nas comissões e priorizamos o debate porque entendemos ser a oportunidade que o parlamentar tem de aprofundar, no dia a dia, cada projeto de lei. Com isso, o projeto chega ao plenário com a participação de todos. A maioria dos projetos é votada por acordo. Isso reforça o nosso papel de ser uma Casa que respeita o contraditório e tem preocupação com o nosso estado”, destacou Leal.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.