Sertão Hoje

Sertão Hoje

Colunistas

Irlando Oliveira

Irlando Lino Magalhães Oliveira é Oficial da Polícia Militar da Bahia, no posto de Tenente Coronel. Possui especialização em Gestão da Segurança Pública, pela UNEB; Direitos Humanos, pela Faculdade Dois de Julho; e Programa de Desenvolvimento Gerencial Integrado (PDGI), na área de Gestão de Segurança Pública, pela UNEB e Fundação de Administração e Pesquisa Econômico-Social (FAPES).

França protesta por insatisfações infinitamente menores que as dos brasileiros

No país berço da tríade liberdade, igualdade e fraternidade, extraída da Revolução Francesa de 1789, não se tem verificado manifestações nessas últimas décadas como as sucedidas em Paris no decorrer desta semana. Tudo por conta do aumento dos combustíveis e perda do poder de compra, principalmente. Lojas depredadas e saqueadas, pneus queimados bloqueando vias, contingente policial atuando como nunca, foram imagens por nós constatadas através da mídia.

Por muito menos que nós brasileiros os franceses protestam, vociferando, mostrando sua indignação ante medidas governamentais que os atingem, bradando àqueles que estão no poder, como a dizer que tais medidas são insuportáveis e jamais as aceitarão. Num país, berço da civilização europeia, espera-se, obviamente, a lida com pessoas mais esclarecidas, alfabetizadas, polidas e educadas! Mas daí, serem “cordeirinhos”, é subestimar demasiadamente a capacidade intelectiva das pessoas!

Qualquer cidadão digno, consciente dos seus direitos e deveres, sabe, perfeitamente, até onde pode ir! Em razão disso, os franceses foram às ruas, pois, se assim não fosse, receberiam “goela abaixo” as imposições de um governo injusto que, pelo visto, deseja dividir a sua conta mal gestada com o contribuinte sofrido!

No Brasil, país do Carnaval, da baderna e da anarquia, exceção feita ao movimento “Brasil Livre”, não constatamos disposição dos brasileiros para manifestações semelhantes contra medidas descabidas do governo, a exemplo do “pacote” do executivo baiano que tem como foco principal a perda do poder de compra do cidadão servidor público, através do aumento da contribuição previdenciária e da tentativa de se retirar conquistas já consagradas judicialmente!

Desta forma, esperamos que os brasileiros possam acordar dessa hibernação profunda e passiva que tanto tem nos caracterizado; que busquem esquecer um pouco o Carnaval que já se avizinha, despertando para aquilo que efetivamente nos atinge, já que, enquanto estamos pensando na folia momesca, há quem, do outro lado, saiba usar da expertise e de estratégias maquiavélicas para nos lesar, mesmo que ferindo direitos e garantias fundamentais, previstas na Constituição!