Sertão Hoje

Sertão Hoje

Colunistas

Irlando Oliveira

Irlando Lino Magalhães Oliveira é Oficial da Polícia Militar da Bahia, no posto de Tenente Coronel. Possui especialização em Gestão da Segurança Pública, pela UNEB; Direitos Humanos, pela Faculdade Dois de Julho; e Programa de Desenvolvimento Gerencial Integrado (PDGI), na área de Gestão de Segurança Pública, pela UNEB e Fundação de Administração e Pesquisa Econômico-Social (FAPES).

Bolsa Família: Programa social ou desejo de dependência?

Nesses últimos anos temos notado um certo “desvirtuamento” na condução de programas sociais do governo federal, mormente o Bolsa Família. Conforme pudemos nos inteirar, através de apuração do Ministério Público Federal veiculada nos telejornais, a Bahia tem sido recordista em fraudar o referido programa, destinando-o a pessoas cujos perfis são incompatíveis com as bases e regras do mesmo, o que vem acontecendo em vários municípios.

Aliado às inúmeras fraudes aqui no Estado do PT, a política do programa tem sido não a de se promover a assistência social — seu objetivo finalístico — mas, sobretudo, a de tornar o beneficiário dependente do programa, a fim de se manter o chamado “voto de cabresto”, infelizmente!

Ao invés de se criar frentes de trabalho, fomentando o crescimento econômico e ampliando as condições de prosperidade de todos, nos deixa a impressão de tornar tais beneficiários totalmente dependentes do programa, os mantendo sempre no estado de pobreza extrema, o que vem sendo amplamente usado nas campanhas políticas tão mesquinhas aqui na nossa região.

Até quando vamos ter que suportar tudo isso? Qualquer programa social do governo deve objetivar suplementar algo em carência do cidadão e da sua família, ao mesmo tempo em que, concomitantemente, se desenvolve ações visando a melhoria da qualidade de vida desses beneficiários, de modo a não mais necessitarem do programa, o que, aqui na Bahia, está muito distante de acontecer!