Sertão Hoje

Sertão Hoje

Colunistas

Irlando Oliveira

Irlando Lino Magalhães Oliveira é Oficial da Polícia Militar da Bahia, no posto de Tenente Coronel. Possui especialização em Gestão da Segurança Pública, pela UNEB; Direitos Humanos, pela Faculdade Dois de Julho; e Programa de Desenvolvimento Gerencial Integrado (PDGI), na área de Gestão de Segurança Pública, pela UNEB e Fundação de Administração e Pesquisa Econômico-Social (FAPES).

Eleições Presidenciais: estratégias políticas da Direita e da Esquerda

Acompanhando como qualquer brasileiro o desenrolar do pleito eleitoral, com foco principalmente na Presidência da República, vemos que candidato e “não-candidato” se articulam como podem, para pôr em prática seus planos de campanha. Afinal, faltam pouco mais de quinze dias para o sufrágio, que certamente ficará registrado nos anais da nossa história, considerando a derrocada da hegemonia petista que vem se anunciando desde há muito.

De um lado, Jair Bolsonaro, se restabelecendo num leito hospitalar, vítima de um ato covarde que todos acompanhamos, egresso do Exército Brasileiro, sem participação em qualquer ato de corrupção, um líder nato que vem angariando a simpatia e o respeito de milhões de brasileiros ante a sua postura de fibra e de raça, aliado à determinação e à tenacidade com que direciona seus passos ao Planalto, tão depreciado ultimamente nas mãos dessa Esquerda comunista.

Do outro lado, o ex-presidente — apesar de ter lançado um títere, um fantoche, com a intenção de guiá-lo depois, como o fizera com a sua colega, a ex-presidente, que, por sinal, foi um desastre —, condenado pela Justiça, preso na Polícia Federal, respondendo a outros processos crime, conforme desenrolar da Operação Lava-Jato, divulgada à saciedade pela mídia.

O primeiro vem lutando com todas as suas forças para seu pronto restabelecimento, na busca da higidez necessária à tarefa difícil e árdua que o aguarda, na condução da nossa nação. Mesmo no leito, direciona a sua estratégia na campanha vitoriosa, junto à equipe de escol que o assessora. A sua é uma conduta esperada por todos que o admiram e que o colocarão no Planalto.

O segundo naturalmente nos faz lembrar da estratégia imprimida pelos líderes das facções criminosas que tomaram conta do país, de norte a sul, de leste a oeste. Mesmo da cadeia, tenta conduzir uma campanha natimorta!

Afinal, são estratégias ao alcance de cada qual. Com um detalhe: a do primeiro é coerente, dentro dos padrões aceitáveis e do que se espera; a do segundo é desprezível, condenável e reprovável. Isso tudo confirma a certeza de que precisamos reconstruir um Brasil verde-amarelo; um Brasil acima de tudo!