Sertão Hoje

Sertão Hoje

Colunistas

Vitor Hugo Lima da Silva

Vitor Hugo Lima da Silva é médico, clínico geral, formado em 2001 pela Universidade Federal da Bahia. Atualmente, reside em Ituaçu, onde trabalha como médico concursado no Programa Saúde da Família (PSF) e também em uma clínica particular (Fisioclem), em sociedade com sua esposa.

GRAÇA ALCANÇADA OU ACASOS DA VIDA?

- Olá amigo, tudo bem?

- Tudo. E você?

- Tudo também. O que foi este curativo aí no seu corpo?

- Amigo, não soube? Eu estava na minha loja e um assaltante me deu um tiro ao roubar o caixa.

- Soube não. Foi que dia? Quais as conseqüências deste ferimento?

- Isso foi anteontem. Não houve nenhuma conseqüência à minha saúde. O médico falou que a bala passou rente a órgãos vitais e acabou alojando em músculos. Nem vai precisar fazer cirurgia pra retirar o projétil, vou viver com ele para o resto da minha vida, sem conseqüências à minha saúde.

- Que bom. Mas você está bem não está?

- Estou sim. Agora mesmo estou indo ali na igreja agradecer ao meu senhor a esta graça alcançada, este milagre.

- Que graça, que milagre?

- Ué amigo, é qualquer um que ganha um tiro à queima-roupa e sai ileso, sem precisar ao menos de uma cirurgia!?

- Ainda não entendi  onde entra aí a graça?

- Amigo, isto foi coisa das mãos de Deus; ter desviado o projétil de órgãos vitais e fazê-lo repousar em um lugar onde não haverá conseqüências à minha saúde, só mesmo sob intervenção divina.

- Mas meu amigo, se esta mão divina desviou o projétil dos tais órgãos vitais, por que então ela não desviou mais um pouco para que nem tocasse em você?

- Mas eu não te falei que o tiro foi à queima-roupa... Não havia como não pegar em mim.

- Então por que a mão divina não fez o gatilho emperrar, a espoleta não estourar ou até mesmo o ladrão soluçar – hic – na hora do tiro? Assim a bala não chegaria até você. Outra opção teria sido fazer o ladrão nem ter chegado à sua loja, de algum modo.

- Estou vendo que você não entende mesmo destas coisas, caro amigo. As conseqüências à minha pessoa não param por aí. Tudo tem um propósito. Depois que levei este tiro virei outra pessoa, mudei meu modo de ver o mundo. De que adiantava ter tanto dinheiro no caixa da minha loja, se para isto tinha que me sacrificar diariamente, com trabalho árduo, muitas vezes deixando minha família em casa sem minha presença, me expondo a riscos como este que aconteceu? Agora vejo a coisa de modo diferente, sou um novo ser humano, vou me comportar de outro modo. Este tiro serviu para isto. Este tiro foi o modo de Deus me mostrar que minha vida estava desregrada, sem propósito.

- E em dois dias apenas você já pensa assim? Tão rápido já tem planos que irá mudar tua vida para sempre? Este plano de mudança não seria conseqüência do trauma inicial ainda impregnado em sua mente? Será que daqui, digamos, três meses, você realmente estará com a vida mudada mesmo ou apenas investirá mais na segurança da sua loja?

- Claro que estarei mudado pra sempre. Vou ser outro ser humano. Deus me salvou desta bala para que eu pudesse mudar.

- Mas amigo, ainda acho que não houve salvação nenhuma, apenas obra do acaso na vida cotidiana. Você diz que Ele te salvou da bala, mas volto a repetir que, com os poderes que dizem que Ele tem, seria mais fácil não ter promovido este encontro entre você e a bala ou entre você e o ladrão. Acho que você deveria observar os discursos de quem já passou pela mesma situação que você e olhar a vida deles atualmente, antes de ficar com este discurso que mais parece exaltação ao divino e embasado apenas na psicologia do “desconto hiperbólico” e no fervor da fé de um primeiro momento. E outra coisa: se Deus queria mudar tua vida, por que arrumou justamente este modo maquiavélico, fazendo você levar um tiro. Já que ele é onipotente e onipresente, por que não utilizou este poder pra fazer mudar a química do teu cérebro – pois após este trauma é isto que ocorre – através de um sonho, de um simples susto ou até mesmo através de um ‘acordei hoje outra pessoa’? Acho que faria mais sentido e seria menos traumático e maldoso.

- Ah amigo, os desígnios de Deus o ser humano nunca vai entender. Devemos apenas aceitar e nunca questionar. E Deus não fica o tempo todo se preocupando com particularidades das pessoas. No meu caso ele apenas me mostrou o caminho através de um tiro.

- Mas se Ele fez isto, Ele tinha este plano particular pra você. Logo, despendeu um pouquinho do tempo Dele para planejar isto pra sua vida. Se Ele gastou este tempinho, poderia ter sido gasto por Ele de outro modo e não com um tiro. Se Ele se preocupa com o seu futuro, deveria também se preocupar com o seu presente, não fazendo você e sua família passarem por momentos de aflição como os que passaram.

- Mas temos o livre arbítrio...

- Livre arbítrio pra mim é a carta da manga criada, bolada pela religião em casos em que a contra argumentação em embates filosóficos fica findada ao insucesso por falta de argumentos convincentes. Mas, ainda assim, já que temos o livre arbítrio, como então você afirma que este foi o modo que Ele encontrou pra mudar sua vida? Esta afirmativa não joga o conceito do livre arbítrio por terra?

- Amigo, sobre este assunto vejo que não dá pra conversar contigo. Você não entende destas coisas, é muito insensível. Te conheço, sei que seu coração é bom e que você só quer o bem das pessoas. Até te vejo fazendo muito mais pelo próximo que muitos dos meus irmãos religiosos, mas você precisa mudar, ver as coisas com o coração mais aberto e temente a Deus! Assim você crescerá como pessoa e encontrará a felicidade eterna.

- Se sobre estes assuntos não dá para falarmos, então tudo bem amigo, deixemos pra lá estas conversas, vá pra tua reza e agradeça a Ele pela tua graça e seja feliz, que é o que importa, mas sinto muito por você só enxergar deste modo.

- Até logo – e foi, feliz da vida, agradecer por mais uma graça alcançada na sua vida.