Sertão Hoje

Sertão Hoje

Colunistas

Dário Teixeira Cotrim

Membro da Academia Montes-clarense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros. Também é ele o atual diretor da Biblioteca Pública de Montes Claros

A NOSSA PRIMEIRA LIÇÃO

Depois de um período sem escrever sobre o cenário político brasileiro, voltamos agora com mais entusiasmo após a histórica derrota do PT nas urnas destas eleições, em todo o Brasil. A redução de prefeituras, antes administradas pelo PT, ficou em quase setenta por cento, um abalo gigantesco nas estruturas do partido, como nunca se viu antes. Um desastre político para quem teve domínio nos poderes no Palácio do Planalto, no Congresso Nacional e, também, no Supremo Tribunal Federal. É importante compreender que o barco petista afundou, com mais intensidade, neste mar de lama da corrupção. Naufragou devido a carga-pesada da incompetência política, da arrogância incontida, da insensatez sem a menor dissimulação e dos atos de corrupção que contaminaram todas as instituições para a derrocada da nossa democracia.

A era do populismo está chegando ao fim. Uma praga instituída pelo então ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o único objetivo, o de implantar um socialismo-comunista no país em detrimento da dignidade do seu povo. Uma conduta desumana e injusta com os mais necessitados, haja vista o amontoado de promessas politiqueiras e nunca cumpridas como prometidas. O povo vivendo a ilusão do dinheiro fácil, adjutório extra e necessário, mas sem lastro de garantia para a estabilização da economia em todos os segmentos do governo. Hoje, a existência de uma herança, muito mais maldita do que aquela deixada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, pode decretar uma instabilidade sem precedentes na economia da nação.

Nota-se que, neste ano eleitoral, por onde andaram Dilma e Lula o estrago foi estarrecedor. Todos os candidatos que tiveram o apoio deste danoso casal foram derrotados com índice de rejeição acima do normal. Aliás, o PT já amargava uma derrota anunciada antes mesmo das eleições. É verdade que uma parte dos incômodos foi fruto das ações do Lava Jato, com prisões de políticos influentes na sua história. Entretanto, a maior motivação até então foi a própria história da sigla, com passagens pelo mensalão e com o avanço continuado para o petrolão. Não há políticos inocentes e nem partidos isentos de culpa neste processo movido pelo eminente Juiz de Direito Dr. Sérgio Moro. Isto é verdade!

O futuro de Dilma e Lula está incerto. Politicamente não haverá mais espaço para que ambos possam se eleger a cargos públicos. Entrementes, num país onde os presos – por crime de tráfico de drogas e assassinatos – se elegem com extrema facilidade, é bem provável a volta triunfante desses meliantes. O Brasil tem jeito, quem não tem jeito é uma pequena parcela de sua população que é anestesiada da vergonha e subserviente dos maus políticos.

Mas, o primeiro sinal já foi anunciado com a derrota histórica do PT nas urnas em todas as capitais dos estados da federação, excerto a cidade de Rio Branco, capital do estado do Acre (acre: que tem o sabor amargo, ácido e azedo), onde está o mandiocal do Tião e Jorge Vianna. Por tudo isso, compete agora que façamos nós uma meditação dos fatos acontecidos para extrair deles exemplos de sabedoria e a manutenção do civismo em nosso meio social. O Brasil tem jeito. Repito!