Sertão Hoje

Sertão Hoje

Colunistas

Dário Teixeira Cotrim

Membro da Academia Montes-clarense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros. Também é ele o atual diretor da Biblioteca Pública de Montes Claros

WALDIR MARANHÃO BRINCANDO COM FOGO

Até então era tão somente uma crise política sem muitas consequências para a estabilidade econômica brasileira. Era, pois não é mais. A brincadeira de mau-gosto do presidente-interino da Câmara, o deputado, Waldir Maranhão, abasteceu de combustível o fogo que já queimava no Congresso Nacional. É sem dúvida uma atitude monocrática, intempestiva e irresponsável em querer anular o processo de impeachment na Câmara Federal. Nota-se que foram contabilizados 467 votos a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, e, agora, numa trama diabólica entre o governador comunista do Maranhão, Flávio Dino, José Eduardo Cardozo, titular da Advocacia Geral da União e o deputado Silvio Costa com o deputado corrupto Waldir Maranhão, numa tentativa de desespero, anularem o que antes já havia aprovado, legitimamente, na Câmara dos Deputados. Aliás, era necessária que essa reunião acontecesse com os membros da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, o que não aconteceu por imposição da ala governista.

O Brasil vai de mal a pior. Os governistas estão preocupados apenas com os seus interesses particulares. A medida de hoje visa tão somente o governo em ganhar tempo no Senado Federal. A economia sofre abalos e mais abalos na sua conjuntura, enfraquecendo as bolsas de valores e elevando o dólar em patamares insuportáveis. Na verdade o Brasil está quebrado e cada vez mais o governo vem contribuindo para o esfacelamento das últimas reservas, objetivando a ruína por completo para que o futuro governo não tenha a mínima possibilidade de manter a máquina governamental no exercício pleno de suas funções. Uma vergonha!

Portanto, na linha da especulação política era preciso o afastamento de Eduardo Cunha e a posse imediata de Waldir Maranhão. Se Cunha é um político corrupto, como afirmou STF, o deputado Waldir Maranhão também o é, e muito mais danoso aos interesses do povo. Além de corrupto – pois ele está atolado na Lava-Jato – é um traidor da nação brasileira.

Não é por acaso que o Estado do Maranhão é um dos mais pobres territórios da federação. As duas correntes que controlam a política local não têm autoridade para presidir uma instituição como a Câmara dos Deputados e nem o governo do Estado. De um lado os Sarneys Metralhas e do outro lado, o bandido do Waldir Maranhão que está sendo expulso do PP, no dia de hoje.

Tudo que está acontecendo em nada ajuda na administração do governo federal. Pelo contrário, somente agrava e muito a economia, afastando os investidores e arruinando setores como os da Saúde, Educação, Transportes e todos os demais. Nota-se que o deputado Miro Teixeira disse que “Não há possibilidade de levar pra frente esta decisão do Waldir Maranhão” e, acrescentou que “o presidente do Senado, Renan Calheiros, deve arquivar, com contestação, o pedido de anulação do impeachment feito pelos militantes do governo de Dilma Rousseff”. Para o bem da verdade, o processo de impeachment no Senado Federal deve seguir o seu curso natural, isso em respeito aos 467 votos obtidos dos deputados na Câmara dos Deputados. O que os governistas querem é botar fogo na nação brasileira. Eles irão para Cuba, Venezuela, Bolívia e tantos outros países aliados, mas a quase totalidade da população ficará aqui, pobres, necessitados e pedindo esmolas, uns e outros, também empobrecidos. Que Deus tenha pena de todos nós!