Sertão Hoje

Sertão Hoje

Resultado da busca pela categoria "carinhanha"

Eleitores com títulos cancelados por não fazer biometria poderão regularizar situação a partir de 5 de março

Sábado / 17.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 1.026.339 cidadãos baianos tiveram seus títulos cancelados. (Foto: Bruno Concha/Secom Salvador)

Os eleitores baianos que tiveram os títulos cancelados por não fazer o recadastramento biométrico terão de 5 de março a 9 de maio para regularizar a situação junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). A informação foi divulgada nesta sexta-feira (16), pelo TRE-BA. Após o período do recadastramento, encerrado em 31 de janeiro, a Bahia contabilizou o total de 3.494.866 eleitores biometrizados (77,30% do público alvo). Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 1.026.339 cidadãos baianos tiveram seus títulos cancelados.

Multas ambientais vão bancar recuperação da bacia do São Francisco

Sexta / 16.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

A empresa que aderir à conversão de multas tem como incentivo um desconto de 60% em relação ao valor total da punição.

A bacia do Rio São Francisco, uma das mais castigadas de todo o País, será a primeira a receber recursos do programa de conversão de multas do Ibama, ação que converte punições financeiras aplicadas pelo órgão em financiamento de ações para recuperação ambiental. Além do São Francisco, que concentra extensas áreas de degradação entre Minas Gerais e Bahia, o programa vai incluir ações de recuperação para trechos da Bacia do Rio Parnaíba, entre Piauí e Maranhão. Um chamamento público será publicado nos próximos dias pelo Ibama, para detalhar a seleção de projetos que poderão ser apoiados pelas empresas punidas por infrações ambientais, as quais não podem ter nenhuma relação com as iniciativas que financiarão.

Nesta sexta-feira (16), o Ibama publicou no Diário Oficial da União uma instrução normativa que regulamenta como funcionará o programa de conversão de multas. As regras preveem que a matriz do órgão, em Brasília, dará a palavra final sobre quais iniciativas serão financiadas com a conversão de multas. O objetivo é evitar conflitos de interesse entre superintendências do órgão nos Estados. A Petrobrás, que concentra um dos maiores passivos de multas já aplicadas pelo Ibama, já sinalizou interesse em aderir ao programa. O Ibama não comenta o assunto, mas a expectativa é de que cerca de R$ 300 milhões da petroleira possam ser aplicados em programas de recuperação do São Francisco. A escolha dos rios como destino do programa de conversão está atrelada à prioridade dos programas encampados pelo Ibama, que voltará sua atenção neste ano a ações para conter a crise hídrica. A empresa que aderir à conversão de multas tem como incentivo um desconto de 60% em relação ao valor total da punição. Dessa forma, o Ibama espera atrair um maior número de interessados. Há casos de multas que tramitam há 15 anos na Justiça, sem conclusão. Entre 2011 e 2016, o total de multas aplicadas pelo Ibama chegou a R$ 23 bilhões. Desse montante, apenas R$ 604,9 milhões foram efetivamente pagos, o que corresponde a 2,62% do total. O Ibama aplica cerca de 8 mil multas por ano, somando aproximadamente R$ 4 bilhões anuais de punições. Os pagamentos, em média, nunca ultrapassam 4% desse valor. As informações são do site Bahia Notícias.

Segundo levantamento da PRF, número de mortes nas estradas federais que cortam a Bahia reduz 60%

Quinta / 15.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

Conforme a PRF, os números são menores em relação ao mesmo período do ano passado. (Foto: Divulgação/PRF)

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 6 mortes e 79 feridos durante a operação carnaval 2018. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (15) pela Superintendência da PRF no estado. Conforme a PRF, os números são menores em relação ao mesmo período do ano passado. A ação começou na madrugada do dia 9 de fevereiro e foi encerrada às 23h59 da quarta-feira (14). Durante a operação foram registrados 73 acidentes, número 25% menor do que o registrado no ano passado. Ainda durante o carnaval, 8.712 veículos foram fiscalizados pelos agentes da PRF nas estradas federais que cortam a Bahia, 9.623 pessoas foram abordadas, foram feitas 1.678 autuações por ultrapassagens proibidas, manobras que, segundo a polícia, são responsáveis pelo maior número de mortes em rodovias. Além disso, 6.864 imagens de radar foram capturadas por veículos em excesso de velocidade, o que, se comparado a 2017, representou um aumento de 18% de motoristas flagrados conduzindo abusando da velocidade. Houve veículos flagrados a 168 km/h. Outras 326 foram autuadas por não usar cinto de segurança, 75 por transportar criança em veículo automotor sem observância das normas de segurança e 49 por conduzir motocicleta, motoneta ou ciclomotor sem usar capacete de segurança.

Durante as abordagens policiais um total de 57 pessoas foram encaminhadas às Delegacias de Polícia Judiciária, cujos crimes variaram desde mandado de prisão em aberto, posse de veículos roubados, embriaguez, armas, drogas, dentre outros. Durante o carnaval, foi intensificada a fiscalização de combate à embriaguez ao volante, onde 6.042 motoristas foram submetidos aos testes com etilômetro e 234 foram flagrados dirigindo após consumir bebida alcoólica.Conforme a PRF, comparando se com o carnaval de 2017 houve um aumento de 43%, tendo em vista que no ano anterior foram 164 autuados quanto à alcoolemia, infração gravíssima, com multa de R$ 2.934,70.

DEPIN revela aumento na apreensão de drogas no Carnaval do Interior

Quinta / 15.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

“Registramos um incremento de 454% no número de apreensão de maconha e de 382% de cocaína”, apontou Flávio Góis. (Foto: Raimundo Marinho / O Mandacaru)

Os casos de violência diminuíram nas 35 cidades que tiveram festas de Carnaval no estado, com nenhum homicídio relacionado aos festejos. De acordo com o diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), Flávio Góis, ao todo foram 27 pessoas autuadas em flagrante por tráfico de drogas, furto, uso de dinheiro falso, porte ilegal de arma de fogo, e ainda por crimes previstos na Lei Maria da Penha. “O índice de apreensões de drogas também aumentou. Registramos um incremento de 454% no número de apreensão de maconha e de 382% de cocaína”, apontou Góis. Também foi registrado aumento do número de Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), que forma de 30 no ano passado, para 50 neste ano, uma elevação de 67%. Os dados são relativos às cidades de Alcobaça, Amargosa, Angical, Arraial D’ajuda, Barra do Mendes, Belmonte, Barreiras, Brejolândia, Brotas de Macaúbas/ Gamboa do Morro, Bom Jesus da Lapa, Cairu, Canavieiras, Candido Sales, Caraíbas, Caravelas, Conde e Correntina Entre Rios, Formosa do Rio Preto, Ilhéus, Itabuna e Itacaré, Itiuba, Jaguabipe, Jandaíra, Jiquiriça, Juazeiro, Lapão, Maragojipe, Maraú, Mucuri, Nova Viçosa, Palmeiras, Paramirim, Paratinga, Porto Seguro, Prado, Rio de Contas, Rodelas, Santa Cruz de Cabrália, Santa Maria da Vitória, Tanquinho, Várzea do Poço e Xique- Xique.

Fonte: Bahia Notícias

Prouni divulga resultado com listas de aprovados

Quarta / 14.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

O programa oferece 242.987 bolsas de estudo em 2.976 instituições de ensino particulares. Dessas, 113.863 são integrais e 129.124, parciais.

O resultado do Programa Universidade para Todos (Prouni) foi divulgado nesta quarta-feira (14). Os candidatos pré-aprovados devem comprovar os dados pessoais informados na inscrição entre os dias 15 e 23 de fevereiro, na universidade onde estudarão. Só assim terão suas vagas garantidas. O programa oferece 242.987 bolsas de estudo em 2.976 instituições de ensino particulares. Dessas, 113.863 são integrais e 129.124, parciais. Haverá a divulgação de uma 2ª lista de aprovados no dia 2 de março. Caso o candidato não seja aprovado novamente, poderá manifestar interesse em participar da lista de espera entre os dias 16 e 19 de março, no site do Prouni. Para participar é necessário ter tirado no mínimo 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2017) e não ter zerado a redação.

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR O RESULTADO

Mega-Sena sorteia R$ 71 milhões nesta Quarta-feira (14) de Cinzas

Quarta / 14.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

As apostas para o certame podem ser feitas até uma hora antes do sorteio, marcado para às 20h (horário de Brasília). (Foto: Rafael Neddermeyer / Fotos Públicas)

A Mega-Sena poderá pagar R$ 71 milhões nesta quarta-feira (14) para quem acertar as seis dezenas do concurso 2.014. Nenhum apostador acertou os números da sorteados no último sábado (10), em Santana, no Estado do Amapá, e o prêmio acabou acumulando. As apostas para o certame podem ser feitas até uma hora antes do sorteio, marcado para às 20h (horário de Brasília). Os jogos podem ser feitos em qualquer lotérica do País, e a aposta mínima custa R$ 3,50.

Sema e Comitê assinam protocolo de intenções pelo rio São Francisco

Segunda / 12.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

Segundo o presidente do Comitê, o protocolo abre portas para ações concretas conjuntas do Comitê e do Governo da Bahia. (Foto: João Raimundo / Ascom Sema)

O secretário estadual do Meio Ambiente (Sema), Geraldo Reis, representando o Governo do Estado, assinou, nesta quarta-feira (7), um protocolo de intenções junto ao Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco (CBHSF), representado pelo presidente Anivaldo Miranda, para implantação de ações de interface entre o Plano de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (PRH-SF) 2016-2025, elaborado pelo Comitê, e o Plano Novo Chico (PNC-Bahia), elaborado pelo Governo da Bahia. O presidente do CBHSF, Anivaldo Miranda, ressaltou que o protocolo abre portas para ações concretas conjuntas do Comitê e do Governo da Bahia. “A partir desse documento, criamos as condições jurídicas e práticas para a cooperação e a parceria”, afirmou.

Participaram da reunião do Comitê, realizada no hotel Golden Tulip, em Salvador, representantes da Casa Civil, das secretarias estaduais de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (SIHS), Desenvolvimento Urbano (Sedur), Desenvolvimento Rural (SDR), Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Secretaria Nacional de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente, entidades e membros de Comitês de Bacias e sub-bacias do São Francisco, Fórum Baiano de Comitês de Bacias Hidrográficas, Ministério Público da Bahia, entre outras instituições.  Após a reunião do CBHSF, o secretário do Meio Ambiente se reuniu com o coordenador do Fórum Baiano de Comitês de Bacias Hidrográficas, Anselmo Cayres, e outras representações, para tratar de demandas para o fortalecimento dos Comitês de Bacias do São Francisco, entre as quais, oferecer maior suporte e infraestrutura para o andamento das atividades.

Ministério Público pede condenação de 7 anos de prisão para Geddel

Sábado / 10.02.2018

Por Laura Lorenzo

O MPF entende que Geddel tentou evitar a delação premiada do empresário Lúcio Funaro, operador financeiro do suposto esquema de corrupção. (Foto: Dida Sampaio/Estadão)

O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça Federal, nesta sexta-feira (9), a condenação do ex-ministro Geddel Vieira Lima a sete anos de regime fechado pelo crime de embaraço às investigações das operações da Polícia Federal (PF) Cui Bono e Sépsis, que apuram desvios na Caixa Econômica (CEF). Os procuradores responsáveis pelo caso afirmaram em suas alegações finais que Geddel tentou evitar a delação premiada do empresário Lúcio Funaro, operador financeiro do suposto esquema de corrupção. “Era incutida em Lúcio Funaro a apreensão e o temor por represálias, para que não colaborasse espontaneamente com as investigações, causando, portanto, embaraço a investigação de crimes praticados por organização criminosa no âmbito da CEF”, argumentam os procuradores. O MPF entendeu que Geddel atuou para constranger Funaro, ao telefonar por diversas vezes para a esposa dele, Raquel Pitta, quando o operador já estava preso, com objetivo de convencê-lo a não se tornar um delator. O ex-ministro nega que tenha tentado intimidar Funaro.

Último sorteio da Mega-Semana de carnaval pode pagar R$ 70 milhões

Sexta / 09.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

Aplicando o prêmio de R$ 70 milhões na Poupança, o ganhador receberá mensalmente mais de R$ 279 mil apenas em rendimentos.

No último sorteio da Mega-Semana de Carnaval, o concurso 2.013 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 70 milhões neste sábado (10). O sorteio será realizado a partir das 20h (horário de Brasília). Aplicando o prêmio de R$ 70 milhões na Poupança, o ganhador receberá mensalmente mais de R$ 279 mil apenas em rendimentos. Mas se o sortudo preferir investir todo o valor do prêmio em bens poderá adquirir 107 imóveis no valor de R$ 650 mil cada, ou comprar uma frota de 350 carros de luxo. A aposta mínima na Mega-Sena é de R$ 3,50 e pode ser feita em qualquer lotérica do país. Clientes da CAIXA com acesso ao Internet Banking podem fazer suas apostas utilizando seu computador pessoal, tablet ou smartphone. Basta ter conta corrente no banco e ser maior de 18 anos.

Temer quer que Cade e PF investiguem repasse de reajuste nos postos de combustível

Sexta / 09.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (9), em entrevista à rádio Guaíba, de Porto Alegre. (Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil)

O presidente Michel Temer determinou que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a Polícia Federal (PF) fiscalizem os postos de combustíveis. A intenção é apurar se os estabelecimentos têm repassado a redução no preço da gasolina para os consumidores. O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (9), em entrevista à rádio Guaíba, de Porto Alegre. "Ora tem aumento, ora tem redução. As bombas, quando tem aumento, registram o aumento, mas quanto tem redução, não registram redução. Nós não vamos permitir isso. Vamos botar a PF e o Cade atrás dessa fiscalização para impedir essa agressão ao consumidor. Essa providência já está sendo tomada", disse o presidente, segundo o Valor.

Fonte: Bahia Notícias

Tribunal de Justiça da Bahia nomeia servidor morto para cargo

Sexta / 09.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

O falecimento de Eduardo, que trabalhava na comarca de Ituberá, foi divulgado em novembro do ano passado, em nota do Sinpojud.

Eduardo Pereira da Silva, um servidor público morto em 2017, foi nomeado na última quarta-feira (7) para um cargo no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). Uma decisão assinada pelo presidente do TJ-BA, Gesivaldo Brito, designa Eduardo “para ter exercício na Vara dos Feitos Relativos às Relações de Consumo, Cíveis e Comerciais”. O decreto foi publicado na edição desta quinta-feira (8) do Diário da Justiça do Estado da Bahia. O falecimento de Eduardo, que trabalhava na comarca de Ituberá, foi divulgado em novembro do ano passado, em nota do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado da Bahia (Sinpojud).

Fonte: Bahia Notícias

Prefeitos baianos cobram recurso de custeio em reunião com ministro da Saúde

Quarta / 07.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

A reunião foi realizada nesta terça- feira (06) na sede da UPB, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, e prefeitos de todo o estado da Bahia. (Foto: Ascom UPB)

O governo federal custeia 43% do que é investido em saúde hoje no Brasil. Esse valor deveria ser de 55% para livrar essa área da administração pública do subfinanciamento. O assunto foi tema da reunião realizada nesta terça- feira (06) na sede da União dos Municípios da Bahia (UPB), com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, e prefeitos de todo o estado da Bahia. O encontro contou com a presença de diversos parlamentares, dos secretários municipais da saúde e do vice-governador do estado, João Leão. Ao apresentar os dados da Saúde no Brasil e fazer um balanço dos R$926 milhões repassados às prefeituras baianas em quase dois anos à frente do ministério, Ricardo Barros, admitiu o subfinaciamento da saúde e afirmou que “há um financiamento que os municípios assumiram”. Para driblar a situação, o gestor citou esforços para mudar a lógica do repasse dos recursos, que era vinculado em diversos programas e agora, segundo o ministro, “cada um vai decidir o que fazer”, explicou ressaltando que “R$7 bilhões estão parados em contas da saúde que não se aplica”.

O presidente da UPB e prefeito de Bom Jesus da Lapa, Eures Ribeiro, listou algumas das demandas prioritárias dos municípios, entre elas a parcela não repassada do Piso da Atenção Básica Fixo (PAB Fixo), em dezembro de 2013. “O governo na época disse que repassou diluído, mas na nossa conta não entrou”. Ele ressaltou também a importância da criação de um programa de reforma e construção de Unidades Básicas de Saúde (UBSs).“Precisamos de um programa específico para construção e reforma das UBSs nos municípios que não receberam recursos de emenda com essa finalidade”, solicitou Eures. O presidente da UPB sugeriu também que as emendas parlamentares possam ser utilizadas para custeio de pessoal aliviando o índice de gasto com pessoal das prefeituras. Na ocasião, outros prefeitos fizeram o uso da palavra para cobrar do governo federal uma repartição mais equânime dos investimentos na área. E o apoio para aprovação de uma medida no Congresso Nacional que retire o custeio da saúde do índice de gastos previstos pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Já o vice-governador João Leão pediu a ajuda do ministério para “Aumentar o número de Unidades Básicas de Saúde de Salvador, para chegar a 100% da cobertura, e aumentar o número de hospitais regionais na Bahia”. Leão criticou a injusta distribuição do bolo tributário e reforçou a necessidade de tratar a saúde de forma apartidária e republicana.

Operação Canaã desmonta sonho da “terra prometida” por seita para trabalhadores na Bahia, Minas Gerais e São Paulo; Cerca de 900 pessoas foram resgatadas em condição análoga à de escravo

Quarta / 07.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

O nome da Operação é uma referência bíblica à terra prometida, já que os trabalhadores teriam sido aliciados por dirigentes de uma seita religiosa.

Trabalhadores em condição análoga à de escravo foram resgatados nesta terça-feira (6) em 15 municípios de Minas Gerais, São Paulo e Bahia. Em uma avaliação preliminar da Polícia Federal (PF), haveria cerca de 900 pessoas trabalhando de forma irregular. Como a ação ainda está em andamento, o número deve sofrer alteração. Foi uma das maiores operações de resgate já realizadas no país nos últimos anos. Pelo menos 22 pessoas foram presas. Batizada de Operação Canaã – A Colheita Final, a ação envolveu 58 auditores-fiscais do Ministério do Trabalho (MT) integrantes do Grupo Especial de Fiscalização Móvel e das superintendências dos três estados, mais 220 policiais federais. O grupo cumpriu 22 mandados de prisão preventiva, 17 de interdição de estabelecimento comercial e 42 de busca e apreensão.  O nome da Operação é uma referência bíblica à terra prometida, já que os trabalhadores teriam sido aliciados por dirigentes de uma seita religiosa conhecida como Comunidade Evangélica Jesus, a verdade que marca. Eles teriam sido abordados na sede da igreja na capital paulistana, onde teriam sido convencidos a doar os bens para as associações controladas pela organização e convencidos a mudar-se para uma comunidade, onde todos os bens móveis e imóveis seriam compartilhados. Após serem induzidos, os fiéis doutrinados foram levados para zonas rurais e urbanas em Minas Gerais (Contagem, Caxambu, Betim, Andrelândia, Minduri, Madre de Deus, São Vicente de Minas, Pouso Alegre e Poços de Caldas), na Bahia (Ibotirama, Luiz Eduardo Magalhães, Wanderley e Barra) e em São Paulo (capital).

Eles trabalhavam em lavouras e em estabelecimentos comerciais como oficinas mecânicas, postos de gasolina, pastelarias, confecções e restaurantes, todos comandados pelos líderes da seita. Um dos itens que mais chamou à atenção dos policiais foi o crescimento do patrimônio pessoal dos líderes da seita e o aumento dos fiéis agregados nos últimos cinco anos. “Desde 2013, tem sido feito um trabalho de inteligência para achar os locais onde os aliciados trabalhavam, as fraudes praticadas pela organização criminosa e, principalmente, a caracterização do crime de tráfico de pessoas”, destaca Maurício. O chefe da equipe de fiscalização do Ministério espera que a operação contribua para o fim das operações da seita. As atividades comerciais de estabelecimentos pertencentes ao grupo já foram encerradas. E os auditores-fiscais do MTb seguem ouvindo todos os trabalhadores encontrados durante a operação para saber detalhes do que ocorria com cada um deles nas áreas onde foram encontradas as irregularidades. Nos casos onde for confirmado o trabalho escravo, serão feitos os cálculos dos direitos trabalhistas, que deverão ser pagos pelas empresas criadas pela seita retroativamente desde a data em que os trabalhadores começaram a prestar os serviços. Os trabalhadores também serão encaminhados ao Programa de Seguro-Desemprego para Resgatados.

A Operação Canaã teve origem em 2013, quando ocorreu o resgate de 348 trabalhadores na União Agropecuária Novo Horizonte S.A. e em empresas urbanas. O relatório dessa ação fiscal gerou uma ação penal do Ministério Público Federal (MPF), que determinou o retorno dos auditores-fiscais e dos agentes da PF aos locais investigados para averiguar a situação atual. Na Polícia Federal, a investigação teve início quando a seita estava migrando de São Paulo para Minas Gerais. Em 2015, foi desencadeada sua segunda fase: “De volta para Canaã”, quando foram presos temporariamente cinco dos líderes da seita. A deflagração desta terça-feira (07) representa a terceira fase da operação, com a prisão preventiva de 22 líderes da seita que, segundo a Polícia Federal, poderão cumprir até 42 anos de prisão, se condenados. O líder da seita, conhecido como Pastor Cícero, está foragido.

Acordo entre Bamin e chineses permite início de cronograma para implantação do Porto Sul, da Fiol e da mina de Pedra de Ferro

Quarta / 07.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

Em 2017, Rui assinou o acordo com empresas chinesas e o ERG, acionista da Bamin, para financiamento do Porto Sul, Fiol e da mina de Pedra de Ferro. (Fotos: Mateus Pereira/GOVBA)

Já estão em andamento no sul da Bahia diversas ações para a construção do Porto Sul, em Ilhéus. Nesta terça-feira (6) mais um passo para a viabilização do empreendimento foi dado com a assinatura, por representantes de três empresas chinesas e da Bahia Mineração (Bamin), de documento que permitirá que as instituições discutam os negócios do projeto para a formação de uma futura joint venture, aliança entre empresas para realização de atividade econômica em comum. Em dezembro passado, o Governo do Estado e a Bamin firmaram acordo na China com o cronograma de atividades iniciais para as obras do Porto Sul, que já possui todas as licenças necessárias para início da construção. Para Rui, o acordo é o segundo grande passo para viabilizar definitivamente a mineração, a ferrovia e o porto aqui na Bahia. “O primeiro passo foi em Pequim, com a assinatura de um documento na presença do presidente chinês, e hoje a gente consolida esse consórcio de empresas chinesas junto com a Bamin, para a realização dos investimentos. Ficamos felizes porque finalmente chegou-se a um entendimento de composição de todos os interessados nesses três projetos, o que viabiliza os investimentos. Nós sempre insistimos que não existe porto sem ferrovia, nem mineração que não tenha um porto e uma ferrovia. Portanto, compartilhando os resultados desses três projetos, nós obtemos um resultado positivo para cada ator econômico e garantimos a principal obra para o desenvolvimento da Bahia para os próximos anos”. Para o presidente da Bamin, Eduardo Ledshaw o passo dado nesta terça-feira é extremamente importante. “Uma parceria que espera consolidar a construção do Porto Sul e abrir o canal para a Fiol e para a mineração. A nossa expectativa é que este ano a gente avance ainda mais para que no ano que vem comecemos as obras tanto do Porto Sul como da mineração. A parceria com o Governo do Estado é fundamental, a gente já começou este ano. Não há outra forma de alcançar o sucesso em um projeto desse porte”.

Em setembro de 2017, o governador Rui Costa assinou, em Pequim, acordo com empresas chinesas e o Eurasian Resources Group, acionista da Bahia Mineração, para financiamento do projeto do Porto Sul, da Ferrovia Oeste-Leste (Fiol) e da mina de Pedra de Ferro, localizada em Caetité. O documento estabelece que as partes desejam cooperar para o desenvolvimento totalmente integrado do Porto Sul, da Fiol e da mina, já que os três projetos estão interligados. O Porto Sul tem investimento total previsto de R$ 2,7 bilhões e será construído na localidade de Aritaguá, no litoral norte de Ilhéus. Pelo porto será escoado, principalmente, o minério de ferro extraído pela Bahia Mineração no município de Caetité. A previsão é que cerca de 20 milhões de toneladas ao ano de minério de ferro de alta qualidade sejam escoados pelo prazo de até 30 anos. O minério sairá de Caetité e chegará ao porto, em Ilhéus, através da Ferrovia Oeste-Leste que terá extensão de 1.527 km, sendo 1.100 km no estado da Bahia. A ferrovia terá capacidade para transporte 60 milhões de toneladas por ano.

Inscrições para o Prouni começam nesta terça-feira (6)

Segunda / 05.02.2018

Por Redação Sertão Hoje

O ProUni seleciona estudantes para receber bolsas de estudo integrais e parciais em instituições particulares de ensino superior com base na nota do Enem.

As inscrições para o Programa Universidade para Todos (ProUni) do primeiro semestre de 2018 estarão abertas do dia 6 a 9 de fevereiro. A inscrição é feita exclusivamente pela internet, no site do ProUni. O resultado da primeira chamada será divulgado no dia 14 de fevereiro e o da segunda no dia 2 de março. O ProUni seleciona estudantes para receber bolsas de estudo integrais e parciais em instituições particulares de ensino superior com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Na Bahia, de acordo com o Ministério da Educação (MEC), serão disponibilizadas 16.807 bolsas, somando todas as modalidades. Ao todo, serão 6.006 integrais, então há outras 10.801 vagas disponíveis para estudantes que forem tentar uma bolsa parcial. Pode participar do programa o candidato que não tenha diploma de curso superior e tenha feito a prova do Enem 2017 e obtido no mínimo 450 pontos na média das notas do Exame. Outra condição é ter obtido nota na redação que não seja zero. É preciso ainda que atenda a pelo menos uma das condições: ter cursado ensino médio completo em escola pública; ter cursado ensino médio na rede privada com bolsa integral; ter cursado ensino médio parcialmente da rede pública e privada, nesse caso como bolsista integral; ser pessoa com deficiência; ser professor da rede pública no efetivo exercício do magistério da educação básica. Poderá concorrer a uma bolsa integral quem tem renda familiar bruta mensal per capta de até um salário mínimo e meio. Pode se inscrever para as bolsas parciais quem tem a renda familiar bruta mensal per capta de até três salários míninos.